21 de novembro de 2017

O AMOR é...

"Soube há pouco de mais dois amigos que se separaram. Assim, calma e civilizadamente com uma certeza que arrepia, especialmente a quem, como eu, os conhecia e imaginava impossível esse desfecho.
Davam-se bem, eram compatíveis, no mesmo patamar intelectual, lavadinhos e cheirosos e ele diz-me "Estava farto daquilo, do de sempre, a vida há-de ter mais para mim".
Não tive resposta na ponta da língua como é meu hábito, turvou-se-me o olhar e a voz na garganta.
Tenho agora.
A vida trazer-te-á mais coisas T., com certeza. Não sei é se serão melhores.
Fomos criados no mundo dos estímulos, do consumo, da vertigem e nada nos chega.
Os nossos filhos nunca são suficientemente bons, bonitos ou geniais e enchemo-los de dietas, laços e desportos. O emprego é sempre aquém do que queremos ou podemos fazer.
O carro está velho e a casa pequena.
Os amigos estão maçadores e cheios de defeitos, o cinema cheira a mofo. Já ninguém come carne guizada com ervilhas porque o Oliver inventou que cozinhar é sexy e há sempre coisas mais difíceis e estimulantes para fazer.
É assim no amor e no desamor.
Não acho que as pessoas devam ficar juntas toda a vida se não se amam ou respeitam e sou profundamente grata ao Criador pela invenção do divórcio que os seus pastores não defendem.
Às vezes enganamo-nos com as pessoas como nos enganamos com tanta coisa e devemos ter o direito de pedir desculpa e bater em retirada, nem aos meus filhos eu obrigo a comerem o que não gostam até ao fim. Mas levo-os a experimentarem e insistirem um bocadinho até que percebam se não gostam mesmo ou só estranham o desconhecido.
Passeio os olhos pelos títulos das revistas, pelos posts dos blogues e tudo nos diz que o amor deve ser espectacular, que na cama devemos dar duplos mortais encarpados, que o próximo jantar deve ser confitado com uma merda qualquer, que a próxima viagem tem que envolver destinos exóticos e comidas afrodisíacas. Que não podemos aparecer doentes ao nosso amor, que ele tem que usar aquelas camisas paneleiras com dois colarinhos mesmo quando está a cortar lenha, que ele tem mesmo que cortar lenha ainda que em casa só hajam radiadores e que nós temos que lavar a loiça em cinto de ligas e acessórios bondage.
Ninguém defende mais do que eu que as relações devem ser cuidadas, que o amor não resiste sem cerimónia e encanto e pequenos truques de magia. Mas isso é o que se faz ao amor, não é o amor em si mesmo.
O amor também é acordar despenteado e dar um beijo antes de lavar os dentes sem achar estranho, pedirmos mimo quando estamos doentes e parecemos um cruzamento do Nelo Monteiro com o Chucky - o boneco assassino e ver um filme, beber café, discutir, chorar, perder a fé, fazer cedências, ficar doido ou doida de raiva, desiludirmo-nos, desencantarmo-nos, pedir desculpa com ou sem razão e com ou sem intenção.
É sair à noite e dançar e dar beijos na boca como se fosse a primeira vez, quase fazer amor no carro tal é a urgência, é a feira da semana e o supermercado aos gritos e nem se dar por isso ou dar-se mesmo por isso e pensar que nós é que temos razão quando queremos comprar on line e porque é que eu ainda vou na conversa deste/a gajo/a.
É adormecer sossegado e protegido como um bébé e acordar feliz porque está ali o cheiro do outro que já passou a ser nosso ou rabujento porque ele/a acendeu a luz - Para quê? Se me amasses partias os dedos dos pés e pisavas o gato mas não acendias a luz enquanto eu estou a dormir.
O amor é uma coisa simples que às vezes se torna excitante. É bitoque que tem dias que sabe a lagosta, leite quente com chocolate que em algumas alturas borbulha como champagne. Há noites em que é ácido como limão. Mas é um alimento certo, uma refeição quente, de casa. Garantida.
E vem das mais diversas formas.
-Já chegaste?
-Já. Está muito frio. Agasalha-te bem, a ti e às crianças.
Não sei o que é que a vida nos pode reservar que seja muito melhor que isto."
 
Texto de Vera Santos
 
#oamoré

14 de novembro de 2017

Ed Sheeran - Perfect



Este video faz-me logo lembrar a época natalícia, gosto tanto!

10 de outubro de 2017

15º Aniversário do Cabeleireiro Teresa Melo


 
Parabéns Teresinha, estás sempre no meu coração. És TOP!
 
#cabeleireiroteresamelo

7 de setembro de 2017

Darci Lynne - America's Got Talent



Estou tão fã desta miúda, espero que ganhe, merece tanto!
Este video é da sua actuação na semi final.

Estes dois videos são das actuações anteriores:

https://www.youtube.com/watch?v=yZm8znUvLHA

https://www.youtube.com/watch?v=48l9hbgWSRg

14 de maio de 2017

14 de Maio de 2017

Se ontem foi dia dos 3 F's
Hoje é dia do 4º F

FOD@-SE

Belisquem-me SFF que estou a viver um sonho!

"Se um dia alguém perguntar por mim"
Diz que neste dia um sonho eu vivi

Não consigo dormir há duas noites... na primeira noite por causa da ansiedade, na segunda noite por causa da adrenalina!

Habemospapa
Habemostetra
Habemossalvador


#carregaarnaldoteixeira
#carregamarinateixeira
#campeoesnacionais2017
#rumoao37
#rumoaopenta
#juntossomosmaisfortes


#festivaldaeurovisao2017
#salvadorsobral
#amarpelosdois
#vencedorfestivaleurovisao2017

Dia 13 de Maio de 2017

Dia 13 de Maio de 2017 -



Estamos a 12 horas do começo do jogo que pode ser decisivo para entrar na história do clube!...
Hoje, podemos ser tetra campeões!!!
Hoje, vou estar no estádio a cantar e a torcer por ti, o clube do meu .
Hoje, vou ser um dos 65.000 e vou cantar bem alto até que a voz me doa...


Sou do Benfica
E isso me envaidece
Tenho a genica
Que a qualquer engrandece
Sou de um clube lutador
Que na luta com fervor
Nunca encontrou rival
Neste nosso Portugal
Ser Benfiquista
É ter na alma a chama imensa
Que nos conquista
E leva à palma a luz intensa
Do sol que lá no céu
Risonho vem beijar
Com orgulho muito seu
As camisolas berrantes
Que nos campos a vibrar
São papoilas saltitantes.

São 6 da manhã e já não consigo dormir... já só penso no Benfas...
#estamostodosapensarnomesmo

Penso nos meus filhos, Diogo e Mariana, que podem ter hoje essa alegria de serem tetracampeões;
Penso no meu melhor amigo e pai dos meus filhos, que este ano vai fazer 50 anos de idade e 50 anos de sócio, que pode ser tetracampeão;
Penso na minha mãe que vai estar 90 minutos a roer a unhas todas das mãos, espero que não se vire para as dos pés, que pode ser tetracampeã;
Penso no meu treinador preferido , Arnaldo Teixeira, que tem feito um excelente trabalho e no orgulho que sinto em ti, Arnaldo Manuel;
Penso na minha comadre do que merece tanto ter esta alegria... estes últimos meses não têm sido nada fáceis para ti, Marina Teixeira, mas tens sido uma grande mulher;
Penso no meu sobrinho Santiago, que com apenas seis anos, hoje, pode cantar #nossomoscampeoes pela 4ª vez, ele que aos dois anos, de chucha na boca e com o seu côcô (pedacinho de cobertor, muito sujo, mas que não deixa lavar) sentava-se em frente à televisão e preferia ver um jogo de futebol do Benfica do que ver o canal Panda ;
Penso em dois grandes homens, Arnaldo Teixeira, pai, e Moura Marques, os meus dois queridos amigos Benfiquistas com mais anos de sócios (ambos sócios 300 e picos) que têm tanto para contar sobre o Benfica e que podem hoje ir para a cama a pensar... finalmente, sou tetracampeão!
Penso no Gonçalo e na Catarina ... que alegria vão ter estes dois príncipes, OMG ;
E espero que hoje, ou amanhã, porque acredito que só me vou deitar depois da meia noite, irei estar no Marquês de Pombal (que tb faz hoje anos) a viver tamanha alegria... já só irei pensar no penta!

#carregabenfica
#rumoaotetra
#rumoao36
#carregaarnaldoteixeira
#juntossomosmaisfortes


Num dia tão bonito, dia da Nossa Senhora de Fátima , também penso e acredito que iremos fazer história no Festival da Eurovisão.

#salvadorsobral
#festivaldaeurovisao2017
#amarpelosdois

Penso em tanta coisa, que não consigo dormir... ahahahah, mas há-de ser por boas causas!

9 de abril de 2017

Minnie

Bolo de Gomas da Minnie

 
 Bolo de Gomas para o 2º Aniversário da Laurinha

3 de abril de 2017

Já Passou



A neve cobre a montanha esta noite,
Mas os passos são só meus.
Comigo só há solidão,
Sou rainha destes céus.
Cá dentro a tempestade que estou a sentir
Não a controlei, deixei-a sair.
Não vão entrar,
Não podem ver,
Sê a menina que tu tens de ser.
"Esconder,
Conter,
Ou saberão"
Mas foi em vão.

Já passou,
Já passou.
Não vivo mais com temor.
Já passou,
Já passou.
Fecha a porta por favor
Tanto faz o que vão dizer,
Venha a tempestade,
O frio nunca me fará estremecer.

Eu vejo que a distância
Vai tudo suavizar.
E os medos de outros tempos
Não me vão apanhar.
Ser livre assim
É mesmo bom.
Ver os limites deste dom.
Sem regras sou feliz enfim,
Sou sim!

1 de abril de 2017

Bolo de Gomas

Sai mais um bolo de Gomas

#carregasantiago
#omelhorbolodegomasdomundo
#sobrinho


31 de março de 2017

Chained To The Rhythm



"Turn it up, it’s your favorite song
Dance, dance, dance to the distortion
Turn it up, keep it on repeat"

Adoro, dancem, dancem muito este fim de semana!

30 de março de 2017

Aeroporto Cristiano Ronaldo

Bem sei que muitos se têm manifestado contra o batismo do aeroporto, com argumentos mais ou menos parvos. Estão no seu direito e quem sou eu para os contrariar. 
A mim, pessoalmente, tal batismo não me choca até porque acho que o homem é um orgulho para o país em geral e há-de ser um orgulho para a Madeira em particular, não obstante não ter sido Nobel da Literatura nem da Paz. Há por aí batismos e venerações que me incomodam bem mais,  mas pronto, eu não sou intelectual nem pseudo-intelectual nem aspirante a intelectual. 
Não havia era necessidade de mandarem fazer o busto a um escultor que estivesse tão revoltado com a escolha. Tadinho do nosso Ronaldo, nem nos tempos dos infantis, antes dos aparelhos dentários, dos tratamentos de pele, dos preenchimentos e de tudo o que os invejosos o acusam de ter feito, era tão feiinho.
Deixa lá Ronaldo, os invejosos e ressabiados assim ficam mais contentes.
Mas na próxima não te deixes enganar homem, se encomendas filhos encomenda bustos que te façam justice.

29 de março de 2017

Talvez o Amor



Talvez o amor seja como um lugar de descanso, um abrigo da tempestade
Ele existe para te dar conforto, ele está lá para te manter aquecido
E nas horas de turbulência, quando mais você está sozinho
A lembrança de um amor te levará para casa

Talvez o amor seja como uma janela, talvez uma porta aberta
Ele te convida a chegar mais perto, ele quer te mostrar mais
E mesmo que você se perca, e não saiba o que fazer
A lembrança de um amor fará você superar tudo

Oh, o amor para alguns é como uma nuvem, para outros, tão forte quanto o aço
Para alguns um modo de vida, para outros uma forma de sentir
E alguns dizem que o amor é se agarrar, e outros dizem que é deixar ir
E alguns dizem que o amor é tudo, outros dizem que não sabem

Talvez o amor seja como o oceano, cheio de conflitos, cheio de dor
Como uma lareira quando faz frio lá fora, como o trovão quando chove
E se eu vivesse para sempre, e todos os meus sonhos fossem realizados
Minhas lembranças de amor seriam de você

E alguns dizem que o amor é se agarrar, e outros dizem que é deixar ir
E alguns dizem que o amor é tudo, outros dizem que não sabem

Talvez o amor seja como o oceano, cheio de conflitos, cheio de dor
Como uma lareira quando faz frio lá fora, como o trovão quando chove
E se eu vivesse para sempre, e todos os meus sonhos fossem realizados
Minhas lembranças de amor seriam de você”

21 de março de 2017

Arco de Balões Rosa e Prateado

O arco de balões do ano passado da Laurinha foi este, vamos ver este ano quais são as cores que ela vai escolher...

15 de março de 2017

Salvador Sobral - Amar Pelos Dois



Sigo o Salvador desde que ele concorreu aos Idolos e curto bué este miudo.
Primeiramente achei esta musica um bocado estranha, mas depois entranhei-a.
Espero que tenha toda a sorte do mundo na eurovisão. 
Pois merece tudo de bom!
Estou apaixonada por esta música!

8 de março de 2017

Dia da Mulher

Tens de acordar cedo, tens de estender a roupa, tens de apanhar a roupa, tens de treinar, tens de ter a casa limpa, tens de ter a casa decorada, tens de hidratar a pele, tens de aspirar o carro, tens de fazer o almoço dos miúdos, tens de ter vida sexual, tens de fazer carreira, tens de ter a vida feita, tens de comer saudável, tens de te divertir, tens de te vir, tens de ler, tens de saber, tens de telefonar à mãe, ao pai, à avó e à amiga, tens de saber a promoção do supermercado, tens de saber de cor os pins, os códigos e as passwords, tens de acordar cedo e de deitar tarde, tens de ser sensível, compreensiva, mãe, amiga, tens de ser resolvida, tens de levar o lixo à rua e comprar comida ao cão, tens de ter meias decentes, tens de entregar o irs e fazer contas de cabeça, tens de cozinhar e tens de gostar de o fazer, tens de pensar no futuro mas tens de aproveitar o presente, tens de fazer bainhas, tens de fazer bolos mas não podes comer bolos, tens de gostar de homens, tens de gostar de bebés, tens de planear férias e viagens, tens de resolver os teus problemas e as equações de todos os dias, tens de ter canteiros de flores e viver poucos amores, tens de caber nas calças e sorrir todos os dias, tens de abrir as janelas para arejar e ter as camisas imaculadas, tens de te depilar, cheirar a perfume, desembaraçar cabelos, tens de envelhecer bem, disfarçar os brancos, aceitar as rugas, tens de comer saudável, tens de ser mulher, tens de evitar palavrões, tens de aceitar comentários, tens de descer a saia.

Tens de viver, e ser feliz, no meio disto tudo.

Tens de ser MULHER

Beauty and the Beast



Hei-de ver filmes da Disney até morrer...

14 de fevereiro de 2017

Sou quarentona e depois...

"É verdade que já nada é como era, a começar pelo raio da bexiga que tenho que esvaziar a cada madrugada como um relógio suíço. Um glamour.
Tenho pés de galinha sempre que rio, umas mãos secas como lixa que os 40 não perdoam, um duplo queixo que dá conta de mim, e mais umas quantas mazelas que não divulgo, para não dar o ouro todo ao bandido.
Começo a usar cremes para pele madura, ando com os olhos preocupantemente em cima do computador, os meus pés já não aguentam saltos altos muito tempo, e morri para a noite.
Ao tocar as doze badaladas, transformo-me numa abóbora e já pouco podem fazer comigo naquele estado calamitoso a roçar o vegetativo.
Ainda assim, olho-me ao espelho e gosto mais do que vejo do que há vinte anos atrás.
Os meus filhos dizem que sou velha, mas gira, e isso também me dá um certo alento, já que não se pode pedir muito de dois adolescentes.
Parece que um deles tem um amiguinho que acha que tenho vinte anos, mas julgo que seja um projecto de homem parecido com o que tenho em casa, que aprecia mulheres maduras.
A minha filha diz que a mãe tem 50 anos e dou comigo a pensar que quando a minha mãe tinha 30, apesar de a achar lindíssima, também a achava velhíssima.
Para a minha filha, contudo, sou já pré-histórica porque nasci, literalmente, no século passado.
E porque sou mãe dela, diga-se.
Mas não julguem que isto me deprime. Ainda não. Não cheguei à fase em que ter feito 40 anos foi uma machadada no orgulho, como numa festa de aniversário a que fui, de uma amiga da minha mãe que fazia quarenta, e que passou a efeméride a chorar de desgosto.
Eu passei os meus quarenta a dançar "anos 80" e a achar-me a última coca-cola do deserto.
Agora, com esta idade uso jeans push up que operam milagres quando estou emocionalmente frágil, e tenho dias em que me acho mesmo gira, frase que nunca assumiria publicamente quando isso estava mais próximo da verdade.
E nas manhãs em que me acho asquerosa, também não deprimo, porque a idade já me ensinou a não me deixar consumir com o que não posso mudar.
E depois há o batom vermelho, que salva o dia e a cara de bufinha amarela.
No fundo, a magia de ser quarentona é apenas esta: aprendemos a gerir o que temos e o que já perdemos, e com um bocadinho de sorte e de jeito, conseguimos (só às vezes) ficar ainda melhor que há vinte anos."

2 de fevereiro de 2017

30 de dezembro de 2016

Darius Rucker - If I Told You



Descobri o Darius Rucker por acaso, num dueto que ele tem com a Adele, fiquei apaixonada pela sua voz...

27 de dezembro de 2016

Fernando Daniel - How Am I Supposed to Live Without You



Eu avisei que o Fernando ía vencer a 5ª edição do The Voice Portugal.
Muito bom!!!
Parabens miudo, desejo-te muito sucesso

29 de novembro de 2016

R.E.M - Everybody Hurts



"Quando o teu dia é longo
E a noite, a noite é solitária
Quando tens a certeza de que já tiveste o bastante, desta vida
Continua em frente
Não desista de si mesmo
Pois todo mundo chora
E todo mundo se magoa, às vezes

... Consegues conforto nos teus amigos..."

Para ti, minha comadre linda!

16 de novembro de 2016

15 de novembro de 2016

Calum Scott - Dancing On My Own



Quanto mais ouço, mais vezes tenho vontade de ouvir!

14 de novembro de 2016

How Do I Live



Este fim de semana cheguei a casa e estava a dar este filme na FOX, lá tive que ir ver pela 6ª ou 7ª vez.
Com um dos meus actores preferidos (Nicholas Cage) e com uma banda sonora tão boa...

11 de novembro de 2016

I Dreamed a Dream



Ontem o meu amigo palhaço Enano partilhou este video e fiquei a pensar que ainda não vi este filme
Tenho que ver...

"Houve um tempo em que os homens eram bons
Suas vozes eram doces
e suas palavras encorajadoras
Esta sugestão está correta?

Você pode votar ou sugerir uma melhor
Houve um tempo em que o amor era cego
Participe das traduções do Vagalume!
Acesse para sugerir e votar nas melhores traduções!

Houve um tempo em que o amor era cego
E o mundo era uma canção
E essa canção era excitante
Houve um tempo... e então tudo deu errado

Eu sonhei um sonho num tempo que se foi
Quando a esperança era alta e a vida valia ser vivida
Eu sonhei que o amor nunca morreria..."

RIP Leonard Cohen

Dance me to the end of love

Um dos meus filmes...
Uma das minhas músicas...
Um dos meus actores...

"A notícia, ainda que expectável, chegou como um relâmpago em dia de céu claro: às primeiras horas da madrugada de hoje morria Leonard Cohen. Lendário e imenso poeta, escritor das mais profundas e enigmáticas canções dos séculos XX e XXI..."

"Este ano já perdemos o Bowie e o Prince. 
Só nos faltava perder o Cohen. 
Por bizarro e triste que pareça, a partida dele dá uma estranha sensação de "closure" a um dos anos mais sinistros dos últimos tempos"

" A million candles burning for the help that never came
You want it darker, 
Hinani, Hinani, 
I'm ready my Lord"

Ainda bem que esta semana chegou ao fim, uma verdadeira semana de loucos...

Trump a presidente
Pedro Dias entrega se
Sporting encontra o seu verdadeiro rival, o Arouca
O Macaco conclui o mestrado com 17

I am not ready for this my Lord!!!!

https://www.youtube.com/watch?v=IEVow6kr5nI

9 de novembro de 2016

11 do 9 e 9 do 11

Hoje é dia das mentiras não é???

Que grande TRAMPA!!!

4️⃣5️⃣º presidente dos EUA???

🙈🙉🙊 #godsaveamericaandtheworld

11 do 9 e 9 do 11 - OMG!!!

7 de novembro de 2016

Diogo Piçarra - Dialeto



Ora aqui está um Diogo que tem umas músicas espectaculares e que ainda não vi e ouvi ao vivo, a ver se o meu amigo JF me arranja um bilhetinho para o Concerto do Picarra, lol

Ninguém nos pára...

⚽️⚽️⚽️

Fomos "bocejados" pela sorte 😜

Mas o futebol é assim mesmo

"carregaarnaldoteixeira
"carregabenfica
"rumoao36

1️⃣9️⃣0️⃣4️⃣

9️⃣0️⃣+2️⃣

Let Me Love You


4 de novembro de 2016

As Nossas Pessoas, As Minhas Pessoas

Não há nada mais importante na vida do que as pessoas.
As nossas pessoas.
E há coisas pequeninas que, na correria dos dias, nos vamos esquecendo de dizer e de fazer.
Um abraço demorado, uma mensagem de força, uma música ''porque me lembrei de ti'', um ''estou aqui para ti'', (agora parecia a música da Maria Leal) um gosto de ti porque sim, e um obrigada por viveres no meu mundo... são pequenas coisas que fazem tanta (toda!) a diferença.
Porque os silêncios nem sempre dizem tudo.
Porque a felicidade não é amanhã, é agora.
Porque as melhores coisas da vida são - e serão sempre - as pessoas que amamos.
E porque, quando nos distraímos, a vida já passou...
 
 
PS: Dedico este texto às minhas duas manas Carlas (A Filipa e a Marina)

18 de outubro de 2016

Arco de Balões

Para o batizado do Tomás Rodrigues fiz este arco em tons de Azul

Todos os filhos são pais da morte de seus pais

Não pude deixar de compartilhar...
 
" Há uma quebra na história familiar onde as idades se acumulam e se sobrepõem e a ordem natural não tem sentido: é quando o filho se torna pai de seu pai.
É quando o pai envelhece e começa a trotear como se estivesse dentro de uma névoa.
Lento, devagar, impreciso.
É quando aquele pai que segurava com força nossa mão já não tem como se levantar sozinho. É quando aquele pai, outrora firme e intransponível, enfraquece de vez e demora o dobro da respiração para sair de seu lugar.
É quando aquele pai, que antigamente mandava e ordenava, hoje só suspira, só geme, só procura onde é a porta e onde é a janela - tudo é corredor, tudo é longe.
É quando aquele pai, antes disposto e trabalhador, fracassa ao tirar sua própria roupa e não lembrará de seus remédios.
E nós, como filhos, não faremos outra coisa senão trocar de papel e aceitar que somos responsáveis por aquela vida. Aquela vida que nos gerou depende de nossa vida para morrer em paz.
 
Todo filho é pai da morte de seu pai.
 
Ou, quem sabe, a velhice do pai e da mãe seja curiosamente nossa última gravidez. Nosso último ensinamento. Fase para devolver os cuidados que nos foram confiados ao longo de décadas, de retribuir o amor com a amizade da escolta.
E assim como mudamos a casa para atender nossos bebês, tapando tomadas e colocando cercadinhos, vamos alterar a rotina dos móveis para criar os nossos pais.
Uma das primeiras transformações acontece no banheiro.
Seremos pais de nossos pais na hora de pôr uma barra no box do chuveiro.
A barra é emblemática. A barra é simbólica. A barra é inaugurar um cotovelo das águas.
Porque o chuveiro, simples e refrescante, agora é um temporal para os pés idosos de nossos protetores. Não podemos abandoná-los em nenhum momento, inventaremos nossos braços nas paredes.
A casa de quem cuida dos pais tem braços dos filhos pelas paredes. Nossos braços estarão espalhados, sob a forma de corrimões.
Pois envelhecer é andar de mãos dadas com os objetos, envelhecer é subir escada mesmo sem degraus.
Seremos estranhos em nossa residência. Observaremos cada detalhe com pavor e desconhecimento, com dúvida e preocupação. Seremos arquitetos, decoradores, engenheiros frustrados. Como não previmos que os pais adoecem e precisariam da gente?
Nos arrependeremos dos sofás, das estátuas e do acesso caracol, nos arrependeremos de cada obstáculo e tapete.
E feliz do filho que é pai de seu pai antes da morte, e triste do filho que aparece somente no enterro e não se despede um pouco por dia.
 
Meu amigo José Klein acompanhou o pai até seus derradeiros minutos.
 
No hospital, a enfermeira fazia a manobra da cama para a maca, buscando repor os lençóis, quando Zé gritou de sua cadeira: e
— Deixa que eu ajudo.
Reuniu suas forças e pegou pela primeira vez seu pai no colo.
Colocou o rosto de seu pai contra seu peito.
Ajeitou em seus ombros o pai consumido pelo câncer: pequeno, enrugado, frágil, tremendo.
Ficou segurando um bom tempo, um tempo equivalente à sua infância, um tempo equivalente à sua adolescência, um bom tempo, um tempo interminável.
Embalou o pai de um lado para o outro.
Aninhou o pai.
Acalmou o pai.
E apenas dizia, sussurrado:
— Estou aqui, estou aqui, pai!


O que um pai quer apenas ouvir no fim de sua vida é que seu filho está ali. "

Festas de Porto Côvo 2016

Mas que agradável surpresa, o concerto dos Sangue Ibérico este ano nas Festas de Porto Côvo.
 
Que simpatia estes 3 miúdos, claro que as 3 cotas aproveitaram logo para tirar uma foto...
 
 

Concerto dos The Gift

Este ano, consegui ir a 3 ou 4 concertos dos The Gift.
Gosto mesmo desta banda.
Na Feira de Grândola apanhei-os e dei-lhes uma beijoca, lol
 
 

Para ti, minha comadre linda

12 de outubro de 2016

Jorge Máximo - "As leis são como as meninas virgens! São para serem..."



Caro, Sr Jorge Maximo:
Permita-me dizer-lhe, com todo o respeito, que o senhor me merece, e que não é nenhum, que o senhor, é uma grande besta quadrada.
Que para além de ser uma grandessíssima besta, é um pulha da pior espécie.... com que então:
"As leis são como as meninas virgens! São para serem violadas!".
E não me diga, que já tinha bebido uns copos, e não me diga que estava nervoso....Nojo, nooooojo é o que tenho de "homens" como o senhor!
Pela idade que, aparenta ter, tem cara de quem já tem idade, para ter filhas, possivelmente até netas.... pergunto-lhe: estava a pensar, especificamente, na sua família, ou era nas miúdas em geral?
Pois, bem me quer parecer, que era mesmo no geral...como besta quadrada que demonstra ser, quer-me parecer, que será daquelas bestas quadradas, que se baba todo,manda "bocas porcas e ofensivas", quando vê uma "vaca de mini saia, ou de calções, ou com decotes, ou com as duas coisas, ao mesmo tempo", porque gentalha como o senhor, não olha para nós, mulheres, como iguais, mas sim como um "objecto ao serviço de".....
E preocupa-me, o facto de sabe-lo a conduzir um táxi, numa qualquer cidade deste país...mais preocupada fico, quando ouço que a sua classe é sujeita a testes psicológicos...o que me leva a perguntar: como é que passou? como é que uma besta como senhor, anda por aí a conduzir táxis? como é que a uma besta como o senhor, dão tempo de antena?
Sabe o que desejo: que não tenha filhas, mulher, netas....
Sabe o que exijo: em meu nome, porque sou mulher, porque tenho sobrinhas, irmãs, mãe, tias, primas, amigas......
Porque estou farta de levar com mentalidades machistas e porcas, como o senhor, sim porque há por aí muito "porco" como vossa excelência.
Porque estou farta que a nossa sociedade aceite isto como "mais um azeiteiro" ou o "típico porco português"....
Porque estou farta de ver, ouvir e até sentir na pele, atitudes de gente porca como o senhor, que ultrapassam mais que a "brejeirice"....
Porque estou farta ver situações parecidas com estas, passaram como forma de humor....
Exijo no mínimo um pedido de desculpas!
E enquanto isso, espero que bata com a cabeça contra alguma parede, para ver se melhora ai dentro qualquer coisa....

Loucos



Musiquinha que passa agora nos ginásios para fazer os alongamentos.
Gosto tanto!

🎶🎶 Mas o mundo nos chama loucos 🎶🎶🎶 porque falamos sozinhos na rua

https://www.youtube.com/watch?v=Q86lCtj1BYs

19 de agosto de 2016

As Redes Sociais no mês de Agosto

Também a minha opinião sobre o querido mês de Agosto e as Redes Sociais, um texto do Jornal Expresso do Luis Pedro Nunes, muito bom mesmo, a ler!

"Quem tenha estado a trabalhar nesta quinzena de agosto e espreitado o Facebook pôde acompanhar ao pormenor as férias de muitos portugueses. Com uma particularidade: foram todas, mas todas, extraordinárias, fantásticas, cheias de momentos inesquecíveis; o mar esteve sempre azul-turquesa, as bebidas geladas, a areia dourada (benditos filtros, há já um que elimina as multidões à beira-mar). As fotos não mentem. Os murais do Facebook escorrem sorrisos bronzeados, corações ao sunset, grupos que irradiam aquela luz interior da amizade. E, contudo, contudo, alguns deles até conheço. Dá-se o caso de até saber, por conversar antes de partirem, que estavam com ‘depressões & problemas’, coisas graves, tretas sérias, vidas madrastas. E olha-os agora. O Facebook passou a ser uma encenação de uma vida ficcional que aceitamos sem questionar. O piorzito é que o Facebook (e Instagram) passou a ser uma tentativa de destabilizar o outro que não foi, o que ficou a trabalhar — o que acaba por ser um viver para o chefe que detestamos —, para a amiga que admiramos, para o ex que está bem, enfim. Ninguém posta que isto está a ser uma miséria, os preços são péssimos, estou a detestar. Nada. Tudo happyyyyy.

Corre-se o feed. Não é possível que haja tanta gente feliz à beira-mar. Aliás, basta frequentar praias para o constatar. Pelo resultado, cada vez mais se avoluma a tese de as redes sociais se estarem a tornar um instrumento para preservar uma felicidade ficcionada, criada para servir aos “amigos”. Presentes e futuros. Um acervo de vivências exuberantes.
Esta é uma hipótese já aqui descrita a propósito de o “Medo de Ficar de Fora” (ou FoMo), que obriga a estar sempre a ir ao telemóvel tentar ver o que os amigos estão a fazer. Não estejam eles a divertir-se por nós. A ida para férias é um medo maior. As minhas férias têm de parecer melhores do que as dos outros. Tudo isto é causa de ansiedade social.

Numa altura da vida deixei de comprar artesanatos nas viagens. Um stresse. Era mais um penduricalho para a prima da prima. Recentemente, as fotos de telemóveis vieram preencher esse espaço de ansiedade cumulativa. Era absolutamente necessário a foto no local, para postar. O Facebook assim o exigia. Mais uma vez deixava de ser algo para nós (a viagem), para passar a ser para o outro. E a angústia: perdi aquele local. Ou seja: não tirei lá uma foto.

As redes sociais e os telemóveis têm tido um impacto poderoso em todo o planeta, que estamos a tentar compreender. E que passa também por esta patética necessidade de representação de felicidade e controlo sobre a felicidade dos que nos estão próximos, além da dimensão global da comunicação que nos ultrapassa. Basta imaginar que não há praticamente aldeia de África sem serviço de telemóvel. Há rede, há cartões. O que se vende é a energia para recarregar o telemóvel, dado que não há eletricidade, sequer. Esta impossibilidade da não comunicação é algo que ainda não assimilamos e não percebemos. Não trouxe desenvolvimento, mas frustração às tribos de telemóvel, mas sem saneamento ou furo de água.
Voltando ao que perturba no quotidiano: esta utilização das redes como uma certa representação de felicidade encenada em competição com os amigos. Mas é esta “ilusão hipócrita” algo típico das redes? É neste ponto que os “pouco dados” às redes sociais costumam sacar do argumento dos “amigos verdadeiros” do “mundo real”.

Lia preguiçosamente o “New York Times” de domingo quando um título puxou por mim: “Será que os seus amigos gostam verdadeiramente de si?” A mais recente investigação que envolve neurociência, psicólogos e cientistas comportamentais de todo o tipo, com a chancela do MIT, garante que há uma grande desconexão entre muitos daqueles a quem chamamos amigos e o que eles pensam de nós. Ou seja, há um grande mal-entendido sobre os que se consideram nossos amigos. Aqueles que habitam o mundo em que vivemos e interagem connosco nem sempre têm a ideia que nós achamos que eles têm de nós. Apenas, para aí, metade dos que consideramos nossos amigos responde na mesma moeda. Alguns deles nem sequer nos gramam.

Acontece que hoje se utiliza a expressão “fulano de tal é meu amigo” no sentido em que se usa a pessoa como um “investimento ou um bem móvel de futura utilização transacionável”, perdendo-se a noção do que é a amizade. Sicrano é apresentado publicamente como meu amigo porque me interessa para algo. É por isso natural que muitos não se revejam nesse estatuto, até porque aplicam as mesmas normas a outros. Por alto, metade das pessoas que consideremos amigas não acham que o são — diz o tal estudo. Usam o termo como peças cumulativas de estatuto. Ao dizer “sou amigo de fulano X” estou a valorizar-me (mesmo que o X me ache um idiota).

Tudo isto é triste. Mas a vida é triste. E em agosto tudo passa. Irei para a praia saltar e rir para a foto do Facebook. (E estará um cínico em casa a escrever uma crónica sobre o assunto e a desmascarar a marosca, mas a mostrar que é igual aos outros)"

Amor Electro - Juntos Somos Mais Fortes



Finalmente vou ver AMOR ELECTRO ao vivo e a cores!
Hoje nas Festas do Mar em Cascais!

16 de agosto de 2016

Para todas as SOFIAS

Hoje partilho convosco este texto que li e adorei:
 
"Temos uma lesão da mama com cerca de 6 centímetros, um Carcinoma".........
E passo a ouvir piiiiiiiiiiiiiiiiiiiii....
Tenho 31 anos bem vividos.
Nunca parti um osso , (a cabeça e o queixo não contam)!... Tive um grande acidente de carro mas felizmente ficámos todos inteiros, também não conta! Posto isto, até há algum tempo atrás só tinha tirado sangue para fazer exames de rotina. Sementes, fruta, legumes, verduras peixe e carnes brancas? Já éramos íntimos. Fazia atividade física com muita regularidade e apesar disso e de tantas outras coisas em busca do que achamos hoje, ser saudável, 280 dias atrás fui diagnosticada com um cancro da mama que veio mudar para sempre a minha vida.
Olhando para trás, passei por injeções várias para estimular a ovulação, meses de quimioterapia, exames, análises, agulhas de perder a conta, a entrar e sair do meu corpo, 3 cirurgias, 2 anestesias gerais, 1 sedação, um mês de radioterapia, incontáveis horas em diversos hospitais, médicos e salas de espera, entre tantas, tantas, outras coisas que nunca, nem nos piores pesadelos fizeram parte do meu dia-a-dia.
Não satisfeita com a lista acima , também pude experiênciar cortar o cabelo, raspar a cabeça, ser careca durante uns 6 meses, sentir das melhores sensações da minha vida, a água a cair na cabeça todos os banhos! Mudei a pele, vi-me mudar de cor. Vi a minha cara, o meu corpo, a minha alma deformada. Tive a pele mais macia que veludo e mais pálida que um fantasma. Perdi as minhas grandes mamocas mas ganhei leveza para os 8 quilinhos que chegaram com tudo. Aprendi a lidar com ausências como com o cansaço. Frios, calores repentinos e intensos da "menopausa" ( que me vão acompanhar nos próximos 5 anos por conta do comprimidinho cor de rosa, o Tamoxifeno)... Chorei baba, ranho, passei noites acordada e dias a dormir, senti-me perdida, com medo, insegura, zangada achei algumas vezes que ia perder as forças, Ri muito, vi pores do sol...Fiz tudo o que tive vontade!...Ou quase tudo!... Mas, e todos os novos dias desde o primeiro, acordei comigo. - Não faço ideia o que um dia me vai levar mas desta não vai ser.
Enquanto os MEUS viravam as vidas do avesso para me ajudar, em tantos momentos que nem conseguia pensar. A minha casa virava um acampamento..., chegamos a dormir três na mesma cama! Fizeram turnos, tinham uma "ordem de trabalhos" tudo só para me aliviar.
Manifestações de carinho, de apoio, chegaram de todos os lados. Colegas de trabalho, diretos ou indiretos...Pessoas que eu nunca vi, abraçaram-me na rua a torcer por mim... Vocês! E a troca de energia boa e solidariedade que se gerou por aqui...
Todos os "parceiros" profissionais a confiar em mim... Até a imprensa, que tantas vezes é injusta e maldosa na sua maioria foi digna. Digna, comigo e com o tema!
A 13 de Novembro, quando o meu chão se abriu debaixo dos pés partilhei que ia fazer parte do grupo de Mulheres guerreiras que ganharam ao cancro. E desde esse dia, tornei-me "responsável" por pelo menos três vidas além da minha, que fizeram um diagnóstico precoce e estão neste momento a caminho da cura, como eu. Troquei mensagens de apoio, desabafos sinceros, que por vezes não confessavam aos próprios familiares e maridos...Ou simples palavras de amor. Mulheres e miúdas como eu, que tantas vezes ilustraram os meus posts, com as suas carequinhas de super mulheres! Encontrei nelas e elas em mim, alguma forma de motivação e esperança.
E se hoje o desfecho não fosse este?!
Se não fosse este, todo o amor que senti, tudo isto, já foi mais que suficiente para acalmar o coração e mostrar o propósito de certas coisas na nossa vida.
Obrigada é pouco, a todos os que me cuidaram, confiaram e torceram por mim!
Aos 20 anos achamos que somos invencíveis e que abusar do nosso corpo significa viver intensamente. Posso afirmar com toda a certeza que estamos redondamente enganados.
Viver intensamente nada tem a ver com submeter o corpo a riscos desnecessários.
Viver intensamente é sobre Amor, Amigos, viagens, gargalhadas e banhos de mar!
O resto é a nossa negligência disfarçada de intensidade. De felicidade vazia.
Nove meses se passaram e digo-vos amigos no auge da beleza, saúde e juventude! ...: Vocês não são invencíveis. Cuida-te, tem respeito por ti! Faz os teus exames de rotina independentemente da idade que tens.
Não adies a contar que não vai acontecer contigo! Entrei nesta luta para ganhar mas se tivesse deixado para mais tarde, hoje talvez ela estivesse perdida!... Mas não está!!!!!


 "Terminou Sofia, parabéns...Fase concluída."


  Oiiiii?! Terminou?! Tenho que me sentar...é isso ou vão-me apanhar ao chão. Não quero chorar, não quero!Mas as lágrimas têm vida própria e querem fazer parte da festa aos pares. Tremo dos pés à cabeça, parece mentira, não consigo verbalizar...Só consigo pensar....


 OH MEU DEUS, MEU DEUS, TERMINOU? E AGORA?! EU CONSEGUI?! CONSEGUI!!! CONSEGUI! Car%£¥••%#*+&€@🙀!!!
Por ti, por mim, pela vida, OBRIGADA!!!!!!! 💖"
 

14 de julho de 2016

Desabafo de um Campeão Europeu - Guilherme Cabral

https://www.youtube.com/watch?v=A3_BLoyQeUg

E o chorar baba e ranho continua... esta semana ando completamente anestesiada.
Puta que pariu os franceses!
Nunca gostei deles!

#tricampeanacional2016ecampeaeuropeia2016

My Name Is Lincoln - The Island



No coments!

12 de julho de 2016

Hoje É O Teu Dia



Esta semana é a nossa semana, deixem-nos viver estas emoções todas - SOMOS PORTUGAL!

A Marcha Final - Guilherme Cabral



Eu não quero acordar deste sonho!

#vaiputo Renato

#vaiputo Guilherme, continua a emocionar a malta com os teus videos e agora #rumoao36

Tudo O Que Eu Te Dou



Declaro para todos os efeitos que a partir do dia 10 de Julho de 2016 o meu nome do meio passou a ser - Tricampeã Nacional 2016 e Campeã Europeia 2016

Je suis Sónia #tricampeãnacional2016ecampeãeuropeia2016 Vaz Branco!

Muito prazer!

14 de junho de 2016

Alberto Indio e Pedro Abrunhosa



TOP!!!
Não tivesse o "dedo" de Pedro Abrunhosa!!!

NÃO SOU DE MAIS NINGUÉM

8 de junho de 2016

Diogo Piçarra - Verdadeiro



Ora aqui está uma música do Diogo que gosto muito e que ainda não ouvi ao vivo, talvez seja este verão que me cruze com ele, algures por aí numa festinha numa aldeia, lol

18 de maio de 2016

SOMOS TRICAMPEÕES

Carta aberta a um Senhor.
Exmo. Senhor Rui Vitória.
Sim, SENHOR. Porque de um verdadeiro SENHOR, na correcta acepção da palavra, se trata. Antes de mais, tenho de te agradecer. Tu estás já um degrau acima e quem está nessa posição não sai da toca. Não saíste da “toca” como o “outro” diz.  Tu fizeste-nos foi a nós sair da “toca”. Não a mim, ou a outros milhares de Benfiquistas que sempre o acompanhamos. Mas a todos os outros, que comodamente vão ao Marquês quando o Benfica ganha e que apupam os seus treinadores, dirigentes e jogadores. Esses, sentindo o teu profissionalismo, dedicação, entrega, humildade e amor ao Benfica, fizeram algo inédito, saíram da toca em tua defesa. Todos sofremos as tuas dores, tomando-as como nossas e unimo-nos. Como nunca vi. Creditamos-te isso. A ti e ao “cérebro”. E saímos da “toca” no momento mais improvável. Aos 71 minutos de jogo, quando depois de já termos perdido a Supertaça, perdíamos por 3-0 em plena Catedral e com o nosso eterno rival, ainda para mais com este Sporting, do arrogante Jesus, do insuportável Bruninho, do intratável Inácio, do não irascível Octávio, sim este Sporting que graças a este quarteto maravilha, deixou de ser nosso estimado adversário, nosso rival, para passar a ser quase nosso inimigo (não por nossa culpa ou vontade, mas pela “guerra” constante que nos declararam) e que, como disse, nos ganhava por 3-0, eis quando num assomo de Benfiquismo, todos, a uma só voz e num momento único de Benfiquismo, nos unimos à equipa, ao nosso treinador e nunca mais nos largámos. Nem um único minuto. Mais do que nunca sentimo-nos o teu 12.º jogador. Por isso hoje, sabemos que também nós somos campeões. E devemo-lo a ti. A ti e ao nosso Presidente. Nunca vacilaram. Nunca choraram a saída do Maxi Pereira, a lesão do Nelson Semedo que brilhantemente o substituía e que tu “inventaste. Não chorámos a lesão do nosso Capitão. Incrível o nosso azar porque quando ficaste sem o nosso capitão, também brilhantemente substituído pelo nosso Lizandro Lopez, eis que também ele se lesiona. E pouco antes de um jogo decisivo da liga dos Campeões e antes dos jogos com os rivais. Também aí tu nos serenaste. A nós, tanto quanto aos jogadores. E isso foi fundamental. Tinhas mais uma carta na manga e acreditaste num miúdo. Deste-lhe a confiança necessária e nós confiámos em ti e esse miúdo Lindlof nunca mais saiu da equipa. Foi o nosso esteio. Como foram Luisão e Lizandro. Como foi Jardel. Como foi Eliseu. O nosso “Patinho Feio” que tu resgataste. Mostraste ao “Cérebro” como se aproveita um jogador. Contigo, ele deixou de ser o nosso “patinho feio” e foi um dos heróis de Alvalade. Mas o que para outros seria um tremendo azar, tu soubeste criar. Sim, tu criaste. Tu deste a confiança e nunca vacilaste. Quem resistiria a perder o nosso “Imperador” no dia do jogo do título e de um jogo decisivo da Liga dos campeões. Quem no início da época acreditaria que ganharíamos em Alvalade sem Júlio César, Maxi Pereira, Luisão e Lizandro Lopez? Quem, senão tu, no início da época acreditaria que com dois jogadores jovens, um deles um Guarda-Redes – Ederson – ambos inexperientes nestas andanças, mais o André Almeida que também aproveitaste muito melhor do que o “cérebro” que te antecedeu e o Eliseu e apenas com o Jardel ao nível da época passada, mas agora como “patrão da defesa”, acreditaria que com essa defesa a equipa ganharia em Alvalade, onde o ano passado só por sorte empatou no último minuto? E que iria ganhar ao milionário Zenit, que veio ganhar à Luz o ano passado, quando eramos treinados pelo maior de todos os tempos? Nós. Só nós. Os famosos seis milhões que nunca vos largámos. Nem vocês a nós. Fomos Et Pluribus Unum. E a aposta na formação? E Renato Sanches? Lançado na hora H, sem vacilar, sem quaisquer espinhas. Fazendo com um jogador da formação provavelmente o maior encaixe financeiro de um clube Português. Depois de vermos o nosso Bernardo Silva desaproveitado e quase humilhado quando cá jogava. De vermos um André Gomes, claramente subaproveitado, que bem que nos soube ver a tua aposta em jovens como Gonçalo Guedes, Nelson Semedo e todos os outros que já referi. Todas apostas ganhas. Provaste que sabes ganhar títulos (bateste o Record de pontos da Liga – imagino se tivesses unhas para o Ferrari), dignificar o nome do clube na europa, com pontos, milhões de euros ganhos (um record), sem excessos, sem arrogâncias como no passado e com uma postura que não nos envergonha, como nos envergonharam em Tottenham por exemplo, no ano passado. E a classe? E a pressão a que estiveste sujeito e nunca vacilaste? E a resposta que deste? Benfiquistas, está na hora de seguirmos o exemplo do nosso treinador – sim, o teu exemplo, e pararmos de falar no passado. No outro que nem soube perder. Que ainda se julga o criador. De quê? Do Renato Sanches? Do Lindlof? Do Ederson? Do Mitroglou que ele disse que não fazia falta na sua equipa e que epicamente marcou o golo que lhe tirou o título? Do Pizzi que contigo foi brilhante e determinante e com ele foi apenas razoável? De que fala ele? Se dúvidas houvesse quanto à forma exemplar como geres os recursos humanos e porque os jogadores (todos) te respeitam e deixam a pele em campo por ti, temos o que fizeste ao nosso guarda-redes Paulo Lopes, ao contrário do que aconteceu na época passada, na qual, sob o comando do cérebro criativo, o guardião luso não saiu do banco de suplentes durante toda a época, mesmo tendo jogado a última jornada com o campeonato nacional . Sim, está na hora de nos preocuparmos connosco, nossa família, amigos, nosso clube, com os professores dos nossos filhos, com um qualquer motorista de táxi, com o arrumador de carros, com o tipo das pipocas e, sim, depois, lembrarmo-nos que um dia tivemos um treinador, que antes de vestir o manto sagrado não era ninguém e que agora é apenas um treinador com algo engasgado na garganta. Também Maxi Pereira deve estar a pensar que agora é só um jogador. Lamento por eles… Nós continuaremos no nosso caminho. Felizes com as nossas opções. Uma palavra apenas: OBRIGADO por tudo. De (mais um) admirador do teu trabalho, postura, profissionalismo e benfiquismo.
 
António dos Santos Ramos (“O Barbas”).
 
*****
Caro Rui,
Quando chegaste ao Benfica dei-te as boas vindas e disse te que para mim, a partir daquele momento, passavas a ser o melhor treinador do mundo. Mas sabes... Não acreditava nem um bocadinho naquilo que estava para ali a dizer, mas estava aberto a ver o que é que conseguias fazer. Na verdade não tinha outra opção se não continuar a cantar pelo clube do meu coração. Na verdade sempre foi pelo clube que cantei, e nunca pelos treinadores que por cá passaram...
Sabes Rui, anda por aí a circular um vídeo chamado "desabafo de um tricampeão", feito por um grande amigo meu que me fez viajar uns meses atrás... E porra, como é que querias que eu simpatizasse contigo? Como é que achavas que eu me sentia quando via o meu clube perder a supertaca para aquele cabrao? Como é que achas que digeri a derrota contra o Arouca? A derrota no dragão? A derrota na luz por 3-0? Aquele empate na união da Madeira que nos "deixou de fora" do que tanto queríamos?
Como é que achas que me sentia quando via no banco uma pessoa quieta, sem sair do mesmo sítio, quando levei seis anos com um gajo que se fosse preciso até entrava em campo para puxar as orelhas a eles? Como é que achas que ficava quando via o outro rasgar te, insultar te, rir se da tua cara, gozar contigo como outrora gozou com tantos outros, olhar para ti e ver te sempre com aquelas respostas politicamente corretas quando devias era manda-lo pro caralho?
Mas sabes, eu achava que tinha razão em te contestar... Eu também cheguei a pensar que era impossível. Mas nunca deixei de lá estar nem nunca me conformei com a ideia de perder isto para aquele que nos traiu...
E a pouco e pouco nós lá demos a volta... A pouco e pouco fomos recuperando os pontos que tínhamos perdido... E a pouco e pouco fui me apercebendo que se calhar até tínhamos treinador...
Mas sabes quando é que tive a certeza que tínhamos treinador?
Quando fomos à Alemanha, levamos logo um golo e vi uma equipa sem medos, sem perder a cabeça, ciente do que fazer em cada sítio do campo, contrariando todos aqueles que julgavam que íamos ser goleados...
E sabes quando é que ainda tive mais certezas de que tínhamos um grande treinador?
Quando recebemos os alemães na luz e os fizemos tremer dos pés à cabeça... Quando quase eliminamos aquela que atropelava todos os que se atravessavam no seu caminho... Foi aí que me apercebi que isto não era só sorte. Era sabedoria... Tua sabedoria...
E depois? Depois foi continuar a fazer o que havíamos ameaçado.. Depois sagrei me campeão pela terceira vez seguida e calei a boca daqueles que em janeiro se achavam donos do mundo...
E naquela tarde? Naquela tarde cantei por ti, Rui... Como nunca em tantos anos de bola cantei por treinador algum... Naquela tarde agradeci-te pelo que nos estavas a dar, e acima de tudo aprendi uma grande lição de vida...
Aprendi que para ganhar não precisamos de ser mal educados, não precisamos de ser arrogantes, não precisamos cuspir no prato de ninguém, nem sequer precisamos de ocupar o tempo a falar dos outros...
E eu que um dia critiquei a tua postura, hoje percebo que apenas nos estavas a ensinar como se vence todos os outros, sem ter de mandar todos os outros abaixo...
E sabes, Rui. Dei por mim a pensar que se tivesses tido Garay, Siqueira, Maxi, Matic, Salvio em forma, ENZO PEREZ, Rodrigo, Markovic, etc só não ganharias aquela liga Europa porque tinhas ganho a liga dos campeões.
Obrigado pelo Tri.🏆🏆🏆
 
Enzo da Silva
 
*****
Sim este já cá canta! Sim aquele que estávamos de fora desde o inicio! Sim aquele que tivemos a 8 pontos (jogo a menos)! Sim aquele que todos idolatraram e todos duvidaram! Não entrando em guerras, cada um apoia o seu, dois justos vencedores, mas o mais justo é sempre o que ganha! Grande campeonato do Sporting, era merecido sim, mas era ainda mais para o Grande Glorioso, pois contra tudo e contra todos, contra bocas, sem treinador, usando plágio, conseguimos! Uma palavra para o nosso treinador, o qual muitos benfiquistas lhe puseram na corda bamba, qualquer um que chegasse depois de 6 épocas de Jesus no comando iria ser assim, resultados só apareceram depois, pré-época mal preparada em termos de resultados e trabalho, mas que rendeu dinheiro, aos poucos melhorámos, alguns deslizes, jogo em casa com o Sporting que foi um pesadelo ao qual os adeptos responderam com o tal minuto 70' sim aquele minuto em que demonstrámos que o Benfica não serve só para este fim de campeonato e não apoiamos só quando estamos no Marquês, mesmo com isto tudo sem ganhar clássicos a não ser a viragem do campeonato (o mais importante), batemos recordes e neste campeonato se vê que o campeonato se ganha com os clubes chamados pequenos, novamente digo Sem Treinador, porque com treinador... Campanha a nível internacional excelente, eliminados, para mim, pela melhor equipa do mundo e melhor treinador do mundo, repito para mim, e demonstrando que a continuar assim é um sonho que um dia se poderá realizar, ganhando cada vez mais experiência internacional, e menos sorteios combinados é possível, se o Porto conseguiu porque não outra equipa portuguesa?! O BENFICA é isto, são estes festejos, a minha geração nasceu durante a grande hegemonia que o Porto adquiriu no futebol português, os nossos avós foram habituados a ver o Benfica ganhar e nós temos de começar a ficar habituados, o Benfica é tudo isto, toda esta grandeza, todo este mar de pessoas a festejar no Marquês, todo aquele ambiente no estádio, o Benfica somos Nós!! Esta época está no fim e ainda temos uma taça que para uns não interessa mas para outros iremos para a 7ª, mas já se tem de pensar no 36 para o ano! Com humildade e seriedade, muito trabalho pela frente, e JUNTOS!
Ps: Uma palavra grande para as modalidades, que demonstram que o Benfica não é só futebol, e uma palavra para a Caixa Futebol Campus, que venham mais Pérolas! UM GRANDE OBRIGADO RENATO!!
VAMOS CANTAR!! PELO BENFICA QUE É O MAIOR DE PORTUGAL!! QUEM NÃO CANTA, FICA EM CASA ALÉ! AVANTE PELO SLB!
 
Diogo Vaz Branco de Sousa
 
*****
O Benfica conquistou o 35º título de Campeão Nacional de Futebol com inteira justiça, batendo o seu velho rival o Sporting, que realizou a melhor época da última década. Foi uma autêntica corrida de fundo em que o clube orientado por Rui Vitória soube fazer um sofrido, mas impressionante sprint final. Uma série de 12 vitórias consecutivas que impediu o Sporting de recuperar a liderança perdida no derby de Alvalade, em que foi derrotado por 1-0 pelo Benfica, naquele que terá sido um dos jogos decisivos para a atribuição do título.
A notável carreira do Benfica, que renasceu das cinzas para recuperar uma desvantagem de sete pontos para o Sporting, está bem patente nos impressionantes números com que termina o campeonato e que só por si seriam testemunho da justiça do desfecho desta competição.
Melhor ataque, maior número de vitórias, maior número de goleadas, menor número de vitórias pela margem mínima e mais pontos somados que o Super Porto de Mourinho.
Uma competição apaixonante contra o Sporting, ensombrada apenas por uma truculenta guerra suja promovida pelo seu Presidente e fiéis acólitos, imbuídos no mais puro e cego fanatismo religioso de que tenho memória e que nem sempre alguns dirigentes do Benfica souberam ignorar, como é prudente fazer com os dementes e os alienados.
O Sporting é uma instituição e um clube que merece respeito, tal como o estóico amor ao clube dos seus adeptos. Respeito que se desbarata com um presidente ordinário e mentiroso, capaz de oferecer uma mala cheia de dinheiro para estimular as equipas adversárias do Benfica, capaz de insultar e denegrir um jovem de 18 anos só porque ele é uma esperança formado nas camadas jovens dos rivais, capaz de condicionar as arbitragens à custa da permanente gritaria e ameças que lança a todos os que não se atrevam a seguir-lhe as fathas no facebook ou no twitter
Uma breve consulta à sua página de facebook e aos comentários de alguns sportinguistas, demonstram bem que estamos perante um fenómeno de institucionalização do mais primário ódio, digno de proto-fascistas, tarados ou de simples e acéfala fileira de caprinos que se deixam cegar por esse ódio, cego, como todos os ódios.
Bruno Carvalho e os seus jihadistas cobriram este ano o Sporting de vergonha. O treinador e o seu ressabiado discurso, que nem sequer poupou um colega de profissão, cobriu o Sporting de ridículo. A arrogância é uma qualidade que fica bem nos perús ou nas equipas vencedoras. Pinto da Costa, por exemplo, sabia exatamente quando podia ser arrogante (com outra ironia e elegância), era quando vencia. Um arrogante derrotado como Jesus, campeão dos campeonatos perdidos, expõe-se à basófia do perú.
É pena, porque a fantástica equipa que montou para desafiar o título é constituida por um punhado de talentos e de excelentes profissionais de futebol que se bateram condignamente até à última gota de suor para dar uma alegria aos seus adeptos. Alegria que seria merecida pela qualidade de jogo consistentemente apresentada ao longo da temporada. Mas a justiça desportiva não se faz exclusivamente da nota artística com que uma equipa termina o campeonato, faz-se de muitas outras coisas, em que o Benfica foi superior. Para ver arte vai-se à ópera ou a uma exposição da Paula Rego.
Aqui ficam 12 coisas em que o Benfica foi superior e, com elas, as figuras que melhor as personificam:
1 - Humildade - André Almeida
O Benfica de Jesus era uma equipa arrogante, à semelhança do seu treinador. O Benfica de Rui Vitória foi uma equipa humilde, à semelhança do seu treinador. A humildade foi um dos fatores determinantes na abordagem aos jogos, especialmente na fase final do campeonato, em que nenhum adversário foi menorizado ou desvalorizado. A humildade de aceitar a superioridade de jogo do Sporting no derby de Alvaladade foi fundamental para manter as linhas defensivas fechadas e segurar o golo que provavelmente deu o título. A humildade do discurso de Rui Vitória foi incorporada no discurso futebolístico do Benfica. André Almeida é o jogador do Benfica que melhor personaliza essa humildade. Apesar de não ser um executante brilhante, entrega-se a todas as funções que lhe são atribuídas com inexcedível entrega e seriedade, da mesma forma como aceita os momentos em que é remetido ao banco.
2 - Superação - Pizzi
O Benfica foi ao longo do campeonato uma equipa capaz de se superar nos momentos chave. Uma equipa consciente das suas limitações - que são algumas, especialmente nas laterais e no meio-campo - e fazer das fraquezas forças, graças ao rigor tático e à intensidade com que se entrega ao jogo. Uma equipa capaz de operar reviravoltas no marcador, reagir a adversidades e de fazer uma reta final imperturbável, apesar dos evidentes défices físicos de alguns jogadores mais utilizados no campeonato e na excelente campanha na Champions que desgastou os níveis de desempenho atlético dos jogadores do Benfica. Pizzi é o rosto dessa capacidade de superação. Até ao último minuto, até à última gota.
3 - Organização - Rui Vitória
O Benfica começou a época com aflitivos sinais de desnorte e desorganização. A tumultuosa saída de Jesus para o Sporting, gerida de forma amadora e ressabiada pelo Benfica, conjugada com uma inoportuna digressão pelos EUA e pelas tardias contratações de Mitroglou e Jimenez fragilizaram o Benfica que foi presa fácil para o novo Sporting. A equipa de Jesus inflingiu duas derrotas humilhantes logo no início da época que colocaram Rui Vitória em maus lençóis. O novo treinador sentiu-se acossado e deu sinais claros de nervosismo. Muitas hesitações, poucas certezas no modelo tático, qualidade de jogo sofrível e um discurso atabalhoada, pareciam condenar o Benfica a um ano sabático. Apenas a boa carreira na Champions e o facto de estar a lançar jogadores como Vitor Andrade, Gonçalo Guedes ou Nélson Semedo na equipa principal, impediram que os sinais de impaciência dos adeptos crescessem acima da linha da tolerância. À medida que o tempo foi passando o Benfica foi consolidando o seu modelo de jogo e dando sinais de ter uma organização mais coesa, bem patente numa série de grandes resultados, com goleadas expressivas que permitiram ir recuperando paulatinamente pontos. Rui Vitória soube cimentar o Benfica e armar uma defesa de betão, mesmo enfrentando permanentes contrariedades, como as lesões que assolaram os defesas centrais e que fizeram baixas de longa duração como a de Luisão. A vitória em Alvalade, a grande caminhada final na Champions e a calma com que somaram a série de vitórias até ao final do campeonato demonstraram que afinal o "não treinador" tinha feito o seu trabalho e mostrado que os sucessos do Benfica estavam longe de ser apenas o produto do "génio" do seu antigo treinador. Foram fruto de uma organização.
4 - Eficácia - Jonas
O Benfica foi a equipa mais eficaz e concentrada do campeonato. Aquela que foi capaz de gerar mais oportunidades de golo e também de as concretizar com elevada taxa de eficácia. Para isso contribuiram os seus três avançados, especialmente Jonas, o melhor e mais determinante jogador do campeonato que ultrapassou a barreira dos 30 golos. O Benfica termina a época com o melhor ataque - 88 golos marcados (mais 9 golos que o SCP) e com a segunda melhor defesa (apenas um golo sofrido a mais do que o SCP). Foi também a equipa que mostrou mais eficácia nos momentos em que ela mais era precisa, ao contrário do Sporting, que teve falhas comprometedoras.
5 - União - Luisão
Tudo mudou a partir do momento em que JJ decidiu brincar aos mind games, (e para isso também dá jeito ter uma mind) e fez um inqualificável e gratuito ataque ad hominem a Rui Vitória. Isso, conjugado com o discurso arrogante, incendiário e grotesco de Bruno Carvalho e sua quadrilha, terá contribuido para fomentar um espírito de união na equipa do Benfica e dar força ao treinador. Um balneário liderado por Luisão, Julio César, Gaitan e Jonas, que soube estar unido em torno do seu treinador e trazer essa solidariedade para os relvados. Involutariamente, JJ e Bruno Carvalho contribuiram para a histórica remontada do Benfica neste campeonato.
6 - Resiliência - Fejsa
O Benfica foi a equipa mais resiliente de todo o campeonato. Soube enfrentar as adversidades, suportar as dúvidas e desconfianças, ignorar os ataques e fazer orelhas moucas aos mind games pacóvios. Foi uma equipa capaz de fazer das fraquezas forças e disfarçar as suas limitações. Fejsa, o discreto e inabalável trinco da equipa, é o rosto dessa resiliência benfiquista. Recuperado de uma longa lesão soube ganhar o seu espaço operático na equipa, ser o homem invisível capaz de blindar o meio campo e proteger a defesa à custa de um superior posicionamento e de uma permanente entrega ao jogo, libertando Renato Sanches para uma dinâmica selvagem de quem sabe que tem as costas quentes com o "homem invisível". Se resiliência é uma qualidade invisível, o Benfica deu-lhe visibilidade.
7 - Serenidade - Jardel
Uma equipa bicampeã tem à partida uma vantagem sobre todas as outras - a tranquilidade competitiva de quem já ganhou tudo e de quem está habituado a ganhar. A serenidade foi fundamental para o Benfica conquistar o título. Apenas na derrota caseira com o Sporting e na deslocação ao Dragão houve sinais de descontrolo emocional. Todos os outros deslizes foram consequências de infortúnio e de condições normais de jogo (e de um árbitro manhoso na derrota com o Arouca). O Benfica nunca perdeu a cabeça, manteve-a sempre fria e nas alturas, com Jardel a personificar essa serenidade e frieza. Cabeceando na sua área para a livrar de apuros, cabeceando na área adversária para concretizar golos decisivos. Um defesa central imune à alta pressão competitiva, como aliás toda uma equipa que soube disputar sete finais consecutivas sabendo esperar sempre com serenidade e naturalidade o momento para resolver jogos difíceis.
8 - Criatividade - Gaitan
O Sporting não detém o exclusivo da criatividade e nota artística no campeonato. Um campeonato que não começou no momento em que João Mário se foi deslocando para a ala direita da sua equipa. Começou antes. O Benfica teve sempre soluções criativas sem as quais seria impossível ter alcançado 88 golos no campeonato. Gaitán é o símbolo dessa criatividade, o génio que levou a equipa às costas na primeira volta - onde foi o melhor jogador do campeonato - tendo depois perdido muito do rasgo na segunda volta (fruto de problemas físicos e de persistentes lesões). Ainda assim, o argentino, foi o símbolo dessa criatividade, da capacidade de improviso e da constante procura da baliza adversária, mesmo quando ela estava barrada por sobrelotados autocarros, como os muitos que se interpuseram pela frente da equipa encarnada.
9 - Concentração - Ederson
Doze vitórias consecutivas em jogos de altíssima pressão, dentro e fora das quatro linhas ,é uma proeza que só é possível a equipas concentradíssimas nas suas missões e tarefas. E não há lugar em campo onde a concentração seja mais necessária do que entre os postes. Ederson, juntamente com Lindelolf, duas das grandes revelações do Benfica de Rui Vitória, foi o espelho dessa extraordinária concentração competitiva, a única forma de evitar erros comprometedores. O Benfica foi a equipa que menos errou no campeonato, porque foi a que esteve sempre mais concentrada no seu trabalho e não no trabalho dos outros.
10 - Espírito - Renato Sanches
O espírito não é matéria palpável, mas é dele que se fazem os campeões. O Benfica de Rui Vitória soube encontrar esse espírito e manter-se fiel a ele. O indomável espírito de luta, de combatividade e também de irreverência, protagonizado por um jogador fundamental para a histórica recuperação do Benfica - Renato Sanches. O motor do meio-campo encarnado, capaz de incutir alegria no trabalho a uma equipa demasiado operária e burocrata. É esse toque de espírito e de alegria que Rui Vitória soube imprimir na sua equipa, graças às oportunidades dadas (ou forçado pelas circunstâncias a dar) a jovens jogadores da formação como Nelson Semedo, Lindelof, Gonçalo Guedes e sobretudo a Renato Sanches, o sorriso traquina numa equipa com rosto de suor, vítima da mais inqualificável e obscena campanha promovida contra um jovem jogador de futebol profissional em Portugal.
11- Verdade desportiva - Equipa do Benfica
Não é por se repetir uma mentira até à exaustão que ela passa a ser verdade. Os adeptos do Sporting vivem reféns de uma mentira há 14 anos. Uma mentira que é resultado das suas frustrações. A mentira é que o Sporting só não é campeão por causa das arbitragens e das manobras de bastidores.
A última vez que o Sporting foi campeão, fê-lo com a dupla Jardel-João Pinto a somar o número recorde de penáltis num só campeonato. A equipa que vive em permanente vitimização é aquela que menos razões de queixa tem este ano.
Mas comecemos pelos alegados benefícios ao Benfica. Como os demonstram? Com uma teoria geral sem prova de facto. Não se marcam penáltis contra o Benfica e os jogadores do Benfica não são expulsos. A culpa é das nomeações de Vitor Pereira, reconhecido sportinguista que lidera a Comissão de Arbitragem de uma Liga cujo presidente foi eleito com o apoio do Sporting.
Ora, a dificuldade grande para quem vive de mal com a realidade, é apresentar mais do que uma magra mão de casos onde devessem ter sido marcados penáltis contra o Benfica (como devia ter sido ontem com o Nacional) ou em que os jogadores do Benfica devessem ter sido expulsos (como Renato ou Eliseu o deviam ter sido numa ou noutra ocasião).
Todo o grande caso sportinguista sobre a verdade desportiva deste campeonato assenta nisto - numa suspeição sem provas ou factos que a suportem. Apenas gritaria de cervejaria.
Muitos sportinguistas vivem em estado de negação e ser-lhes-à difícil acreditar que as únicas equipas com razões de queixa das arbitragens, são as mais pequenas. Normalmente os três grandes são protegidos pelas arbitragens, e que este ano, a equipa que foi mais beneficiada por erros de arbitragem com influência decisiva no resultado final foi, precisamente o Sporting, enquanto a mais penalizada foi o FC do Porto.
É preciso descaramento e lata para gritar Calabote quando se é a equipa com mais penáltis assinalados a favor (um total de doze - contra sete do Benfica). Três deles que resultam de erros de arbitragem com interferência no resultado:
1º Penálti ao minuto 98!!! da primeira jornada no jogo com o Tondela que resulta de um lançamento espalhafatosamente irregular de João Pereira e que dá vitória ao Sporting.
2º O penálti inventado contra o Sporting de Braga e que dá o tiro de partida para a fantástica recuperação do Sporting de 0-2 para 3-2.
3º O penalti marcado sobre Gutierrez no jogo contra o Estoril (1-0), em que o jogador sofre a falta depois de iniciar o lance em claro fora de jogo.
Já nem falo no golo em claro fora de jogo com o Moreirense (em que até inventaram umas linhas de realidade virtual à Matrix), das vezes em que foram poupados cartões a Adrien ou aos cotovelos de Slimani, ou de inúmeros outros casos em que a estratégia de condicionamento das arbitragens deu frutos. O Benfica não foi campeão por causa da sorte, nem por causa dos árbitros. Basta ir aos factos e aos números e deixar os delírios para a página de facebook do presidente do Sporting.
O SCP venceu 11 jogos pela diferença mínima - 4 deles em período de descontos, 3 dos quais com penáltis que resultam de erros de arbitragem fundamentais para desencravar jogos. Enquanto isso o Benfica venceu 9 jogos pela diferença mínima - só um deles no prolongamento e em nenhum deles precisou de penáltis para desencravar jogos.
É extraordinário não é?
Pode uma equipa, os seus responsáveis ou os seus adeptos queixarem-se de ter perdido o título por causa das arbitragens, com números destes?
Poder, podem, cobrindo-se do ridículo reservado aos alienados. Os campeonatos ganham-se nos relvados, não é a condicionar arbitragens nos jornais, na TV e no twitter. Os responsáveis de um clube que oferecem uma mala de dinheiro aos jogadores das equipas adversárias do Benfica, são uma gentalha sem escrúpulo, sem vergonha e sobretudo sem qualquer tipo de autoridade moral para falarem de justiça desportiva.
Também nesse campeonato, o da verdade, o Benfica foi um justíssimo campeão.
12- Adeptos
Os adeptos do Benfica são de facto um 12º jogador, fundamental para os sucessos da equipa. Adeptos que suportaram a saída de Jesus, treinador amado e respeitado pela maioria; que engoliram as humilhações inflingidas pelo Sporting (em campo, e fora dele); que aceitaram os desaires do princípio da época, estes são adeptos com fibra de campeões e que ajudam as suas equipas a serem campeãs. Acreditaram sempre na equipa e puxaram por ela nos momentos decisivos, porque no Benfica e pluribus unum não é só uma frase em latim para inscrever nos emblemas.
É uma verdadeira máxima que faz a força de uma equipa campeã.
Parabéns aos vencedores, honra aos vencidos que a merecerem.
Agora venha o Europeu, onde vou torcer por Portugal e esse fantástico meio-campo formado por jogadores do Sporting.
 
Rui Pelejão
*****
Como é bom chegar aqui e sentir-me tricampeão...
Como é bom chegar aqui de certezas absolutas que os títulos no Benfica são obra de uma nação e não de um homem só...
Como é bom chegar aqui, olhar pra trás e aperceber me do quanto lutámos por isto, do quanto corremos por isto, do quanto desejamos isto mais do que alguma vez tínhamos desejado...
Como é bom chegar aqui e recordar a arrogância com q...ue de nos falaram durante uma época inteira, mas em especial quando outros já pensavam que isto iam ser favas contaras...
Como é bom chegar aqui e poder mostrar que para nos derrotarem... é preciso muito mais.
Eu sei... Cada um de nós chegou a acreditar quando os especialistas diziam que isto era impossível... Mas cedo percebemos que do que estávamos a falar era do Sport Lisboa e Benfica.. e quando falas do Benfica, o impossível vira possível e até a maior descrença vira numa crença sem fim.
Como disse no "desabafo de um campeão", quanto mais dói no princípio maior é o sorriso no final.. e este, mais uma vez, foi assim.
Tão assim...
Este é o meu desabafo...
Mais contido, mais sentido, porque já pouca voz me resta depois da mágica noite de ontem...
Espero que gostem!
Guilherme Cabral