14 de abril de 2011

Poema dedicado à Professora Fernanda Rocha do Externato Julio César

Ontem foi mais um daqueles dias que eu coloco no meu DISCO RÍGIDO na pasta COISAS BOAS DA VIDA mas desta vez o ficheiro tem o nome ESCOLA (felizmente, tenho muitos ficheiros).
Obrigado a todos que participaram.
BEM HAJA "SOTORA" FERNANDA ROCHA

“Imperatriz de bata branca”

Estas são palavras comuns
Mas não vagas
Providas de genuíno sentimento,
Nutrido por quem a sua impossível indiferença
Fez a diferença
Despertando a intrínseca liderança
Tal como a de um coronel e o seu regimento

Do âmago do Atlântico
Terra de belas cores
Voou este açor
Trazendo consigo o sonho de ensinar
Até ao nosso externato Júlio César
Onde se fez imperatriz

Temida mas adorada
Contida, desprendida
De demonstrações de apego fácil
Era porém uma fachada edificada
Em torno de um coração dócil

Tantas lembranças perduraram
Muitas se perderam
Mas a imagem indissociável
Daquela bata branca
Com o gosto de equações físicas
E reacções químicas que despoletou
Para sempre ficará
Nítida e franca

Estas são palavras comuns
Oriundas de uma qualquer triagem
De um qualquer livro de honor
Mas esta não é uma qualquer homenagem
Esta é uma mensagem
Para que sinta o nosso calor
E a nossa gratidão a abraça-la
Estamos aqui em seu nome
Querida Professora Fernanda Rocha.

de Pedro Rodrigues

 
Ex-Alunos do Externato Júlio César