5 de fevereiro de 2010

Relato de um recém aposentado

...e porque hoje é Sexta-Feira, aqui fica uma história divertida...

Depois que me aposentei, a minha mulher insiste que eu a acompanhe quando vai fazer compras no supermercado.
Infelizmente, como a maioria dos homens, eu acho que fazer compras é muito chato e tenho que ficar inventando formas de passar o tempo. E a minha mulher é igual à maioria das mulheres, fica horas fazendo compras.
Resultado: Ontem, minha querida esposa recebeu a seguinte carta do "Hiper-UltraBig Hipermercado":
Cara Sra. Sousa,
Durante os últimos dois meses, seu marido tem causado grandes transtornos em nossa loja. Não podemos mais aceitar seu comportamento e, portanto, somos obrigados a proibir a sua entrada. Nossas queixas contra seu marido estão listadas abaixo e documentadas através de nossas câmeras do circuito interno:
- Pegou 30 caixas de preservativos e colocava-as nos carrinhos de compra de outros consumidores enquanto estes não prestavam atenção.
- Acertou TODOS os alarmes da secção de relógios para tocarem em 5 minutos, ao mesmo tempo.
- Fez uma trilha de molho de tomate pelo chão da loja indo até o WC feminino.
- Dirigiu-se a uma funcionária e disse em tom oficial: "Código 3 na secção de Utilidades. Dirija-se imediatamente para lá". Isto fez com que a funcionária abandonasse seu posto e fosse repreendida pelo gerente, o que resultou em um grave incidente com o Sindicato.
- Moveu o aviso de "Cuidado - Piso Molhado" para a Seção de Carpetes.
- Disse para as crianças que acompanhavam os clientes que elas poderiam brincar à vontade nas barracas da secção de campismo, se trouxessem almofadas e cobertores da secção de cama, mesa e banho.
- Movia-se pela loja de forma suspeita, enquanto cantarolava alto o tema do filme "Missão Impossível".
- No departamento automotivo, ficou imitando o gestual da Madonna usando diferentes tamanhos de funis.
- Escondeu-se atrás de um rack de roupas e quando as pessoas procuravam algum artigo, gritava: "Você me achou, você me achou!" E por fim:
- Foi a um dos provadores, fechou a porta, esperou um momento e então gritou: "Ei, não tem papel higiênico aqui." Uma das nossas empregadas desmaiou.
Enviar um comentário