22 de janeiro de 2010

Poema da Boneca Articulada

Este poema tem muito anos, foi a minha avó que o declamou quando tinha apenas 10 anos no Teatro de Carnide (Sociedade Dramática de Carnide), todos os anos pedimos que o repita para as filhas, netas e bisnetos. Veste-se de Boneca e faz os movimentos...

As melhoras avózinha.

Sou BONECA ARTICULADA
que dou honra ao construtor.
perfeita e bem acabada
até meu corpo tem calor

Tenho corda para falar
para gestos e movimentos
enquanto a corda me durar
mostrarei meus merecimentos

Sei contar de um até cem
diminuir e também somar
porém corda ainda não tenho
para contas de multiplicar

Sei dizer o ABC
soletrar o Bê à Bá
de progresso o que se vê
sei dizer mamã e papá

No palco sou um portento
na valsa ninguém me iguala
todos dizem que talento
quer no campo quer na sala

Para namorar corda tenho
quando vejo algum pimpolho
a mirar-me com empenho
fito o céu e pisco o olho

Mais diria se pudesse
mas tenho que me calar
meu corpo todo estremece
tenho a corda a terminar
Enviar um comentário